Diretor do CRVL de Espigão registra BOP por estelionato cometido por ex-aluno

O ex-aluno esta pedindo dinheiro em nome da entidade sem autorização.
Diretor diz que não há ninguém autorizado que não porte documentos e autorização devidamente registrada.
Da Redação
O estelionato vem acontecendo desde, o início desta semana, de acordo com informações do diretor do Centro de Recuperação Vida e Luz, Deoclecio Moreira de Freitas.
O responsável pelo local disse que no início da semana recebeu algumas ligações de que havia um integrante do CRVL passando em alguns comércios pedindo dinheiro em nome da instituição. “Naquele momento congelei. Pensei comigo, quem estaria fazendo isto e com que finalidade. Foi aí que o responsável local, Marcio Costa me ligou afirmando que o reeducando Jeferson Petik de 29 anos e que estaria comigo a quatro meses já em tratamento, teria pedido para ir embora para trabalhar num garimpo. Pronto! Matei a xarada, era ele quem estava passando no comercio local e pedindo dinheiro em nome da instituição”, disse Freitas.
Deoclecio de Freitas, que também preside a IEAD – Madureira em Espigão do Oeste, com cerca de 500 membros, disse que conversou com o rapaz na Praça Municipal, o convidou para voltar ao CRVL, mas este disse que não voltaria mais. “Quando ofereci a sua quarta oportunidade, já que ele interrompeu por três vezes o tratamento de recuperação e ele não quis, conversei com ele a fim de que não praticasse mais, porém, na tarde do mesmo dia, recebi novamante informações de que ele estaria atuando em nome da instituição, por isso, registrei o BOP 20311 na UNISP para coibir a ação criminosa. Eu vi no registro que ele foi tomado como estelionatário, uma pena, já que teve por quatro vezes, com a última que também dispensou, a oportunidade de se recuperar de uma vida miserável a margem da sociedade e sem perspectiva alguma”, lamentou.
Jeferson Petik, tem 29 anos e agora de acordo com o Boletim de Ocorrência 20311, é suspeito de estelionato e fraude, já que não tem autorização para pedir doações e muito menos dinheiro em nome da instituição.
O diretora ainda alertou os comerciantes para que não deem dinheiro a quem quer que peça em nome do CRVL, ou qualquer instituição ligada ao Projeto Ébrios existe uma saída. “Nós quando pedimos doações o fazemos devidamente documentados e só buscamos os recursos através dos meios legais, ou seja, ninguém chega pedindo de qualquer maneira”, alertou.
praticasse mais, porém, na tarde do mesmo dia, recebi novamante informações de que ele estaria atuando em nome da instituição, por isso, registrei o BOP 20311 na UNISP para coibir a ação criminosa. Eu vi no registro que ele foi tomado como estelionatário, uma pena, já que teve por quatro vezes, com a última que também dispensou, a oportunidade de se recuperar de uma vida miserável a margem da sociedade e sem perspectiva alguma”, lamentou.
Jeferson Petik, tem 29 anos e agora de acordo com o Boletim de Ocorrência 20311, é suspeito de estelionato e fraude, já que não tem autorização para pedir doações e muito menos dinheiro em nome da instituição.
O diretora ainda alertou os comerciantes para que não deem dinheiro a quem quer que peça em nome do CRVL, ou qualquer instituição ligada ao Projeto Ébrios existe uma saída. “Nós quando pedimos doações o fazemos devidamente documentados e só buscamos os recursos através dos meios legais, ou seja, ninguém chega pedindo de qualquer maneira”, alertou.

Comentários pelo facebook

Comentários

Carregar mais em DESTAQUES

Verificar também

Biometria: Espigão iniciou o cadastramento nesta segunda feira e vai até o mês de Julho

Desde a última segunda-feira (05/6) tiveram início os trabalhos de atualização cadastral d…